por Pompéia Rural

Manejo da Florada e Frutificação do Abacateiro

A aparição de manchas na casca dos abacates é causada por vários fungos e pode causar forte depreciação durante a comercialização dos frutos. Doenças fúngicas como antracnose, cercosporíose e verrugose devem começar a serem controladas antes da brotação das flores, pois é nesse momento em que ocorrem micro feridas que facilitam a contaminação das flores com estes fungos. No caso das variedades mais susceptíveis as manchas da casca, como o Breda e o Geada, devem ser mantidas as aplicações preventivas de fungicidas toda vez que as condições ambientais favoreçam o desenvolvimento da doença, como a ocorrência continuada de mais de 50 horas com umidade ambiental superior a 80%.

É recomendável iniciar pulverizações preventivas com fungicidas de ação translaminar a partir do estagio de gemas inchadas. Também ajuda no controle das doenças fúngicas  fazer uma boa limpeza do pomar e do interior das copas antes da brotação das gemas floríferas, catando os frutos caídos no chão e removendo restos de poda e galhos secos.

Para todas as variedades de abacates a partir do 3º ano do plantio, é recomendado aplicar os seguintes manejos anualmente:

Julho: fazer limpeza interna das copas, removendo galhos secos e fazer catação de frutos do chão, para reduzir o inóculo de fungos dentro da copa antes da brotação das gemas floríferas.

Adubação foliar de pré-florada: esta adubação contém boro para promover uma melhor qualidade das flores, aumentando a viabilidade do pólen e o tamanho do ovário da flor. Pulverizar na fase de gema inchada, pouco antes da couve-flor com 3 Kg ácido bórico/1000 L + 1 L/1000 L fungicida + inseticida preventivo contra tripes, ácaros e mosca branca.

Nesta aplicação podem ser utilizados fungicidas do grupo benzimidazol, como: carbenzadim e tiofanato metílico.

Adubação foliar no florescimento: no inicio da florada, quando não mais de 10% das flores estejam abertas no lado norte (quente) da copa, pulverizar com 1% de nitrato de cálcio (20 kg/2000 Litros) + fungicida. O objetivo desta adubação é fornecer nitrogênio e cálcio para sustentar as flores, pois a falta de chuvas impede a aplicação de adubos ao solo. Nesta pulverização podem ser utilizados fungicidas do grupo triazol (difeconazole, tebuconazole). Não é recomendado aplicar inseticidas durante o florescimento, por isso a importância de fazer um controle preventivo de pragas antes, nos meses de maio e junho. Caso seja necessário controlar algum surto de pragas, aplique inseticidas de baixo impacto para as abelhas durante a noite, quando elas não estão no pomar.

Depois do florescimento e no inicio da frutificação, quando aparecem os chumbinhos e as brotações novas, de cor avermelhado, faça uma adubação foliar com 0,3% ácido bórico (3 kg/1000 L) + 0,4% sulfato de zinco (4 kg/1000 L) + 1% ureia (10 kg/1000 L), sem espalhante. O objetivo desta adubação é fornecer zinco e boro que possam ser melhor absorvidos pelas folhas novas. Repita esta mesma aplicação toda vez que aconteça um fluxo de brotações novas. Também podem ser aplicados outros adubos foliares.

Tatiana Cantuarias-Avilés
Consultora e Pesquisadora em Abacateiros
(019) 25340815; 98143-6553, tatiana.cantuarias@gmail.com

Para produtos de qualidade para a nutrição de suas plantas, entre em contato com a POMPEIA RURAL.
Produtos disponíveis relacionados à esse artigo: Ferticálcio (Nitrato de Cálcio), Fertiboro (ácido bórico), Librel Zn (Quelato de Zinco).